Aumentando o limite de arquivos abertos no Linux

Vamos modificar dois limites de arquivos abertos no Linux. Um limite do kernel e outro limite por usuário.
Mensagems de erro: too many opened files,running out of file handles.

Não existe um cálculo definido para a quantidade máxima, isso depende do seu hardware, quantidade de memória e quais aplicativos está executando que consomem recursos. O kernel define baseado na quantidade de memória, +- 100 para cada 1MB de RAM.
Você pode ir aumentando por demanda ou utilizar o calculo dessas referências:
http://stackoverflow.com/questions/6180569/need-to-calculate-optimum-ulimit-and-fs-file-max-values-according-to-my-own-se

Para verificar nosso limite atual de arquivos abertos suportado pelo kernel:

cat /proc/sys/fs/file-max

Para aumentar seu limite, adiciona no arquivo /etc/sysctl.conf

fs.file-max = 943718

Para verificar nosso limite atual de arquivos abertos por usuário:

ulimit -n

Para aumentar o limite, adicione no arquivo /etc/security/limits.conf

*   soft    nofile  65000
*   hard    nofile  65000

e adicione no /etc/pam.d/common-session

session required pam_limits.so

Para aumentar sem precisar reiniciar:

ulimit -n 65000
echo 943718 > /proc/sys/fs/file-max

Seu trabalho é o que você ouve

Fonte: Endeavor Brasil

As infinitas possibilidades de influência da música na vida das pessoas incluem o universo do trabalho. Em que medida isso afeta a sua rotina?

Quem nunca se percebeu, de repente, cantarolando – mentalmente ou em alto som, se preferir – uma música que traduzia exatamente o que sentia naquele instante? Ou teve uma ideia brilhante enquanto ouvia o seu álbum favorito, e que provavelmente se perdeu porque você não tinha à mão um bloco de notas? Quantas vezes as canções não são capazes de amplificar ou transformar um sentimento de alegria, de tristeza ou de coragem, a ponto de levar as pessoas a tomarem decisões cruciais de vida?

A influência da música na emoção das pessoas é algo tão marcante que, até mesmo antes de surgir o cinema falado, os filmes já eram projetados para a plateia com música executada ao vivo. Hoje, já alcançamos a noção de que um filme não é o mesmo se trocamos a sua trilha sonora. Que o diga Quentin Tarantino, diretor ovacionado por suas combinações matadoras de Ennio Morricone, Ray Charles e Elmer Bernstein, que chega a criar cenas para seus filmes a partir de achados do seu acervo pessoal.

Estamos provavelmente longe dessa verve compositora e definitivamente não pretendemos elevar as emoções a tal extremo no auge da rotina, mas será que poderíamos explorar melhor as possibilidades da trilha musical em nosso cotidiano de trabalho? Se você é mais um que se percebe atraído pelo fone de ouvido toda vez que o colega ao lado começa a falar no telefone como se o interlocutor estivesse em meio a uma torcida de futebol, a resposta é sim.

Segundo as autoras do livro Your Playlist Can Change Your Life (ainda sem tradução em português), isso não significa que Mozart fará de você um gênio, mas a música tem um impacto profundo na química do cérebro. “Depois dos cheiros, a música é o jeito mais rápido e eficaz de influenciar e restaurar as suas redes cerebrais sem recorrer a substâncias externas.”E isso acontece porque sons melódicos estimulam a liberação de dopamina, substância que transmite a sensação de prazer e regula a nossa motivação para agir.

Além de ajudá-lo a recuperar o foco e realizar melhor suas atividades, acessar uma boa trilha sonora pode contribuir também na hora de encontrar soluções e tomar decisões.Como afirmou a pesquisadora de musicoterapia Teresa Lesiuk, da Universidade de Miami, em matéria publicada no New York Times, quando está sob efeito de estresse, a pessoa fica com a atenção restrita. Já em um estado positivo, torna-se capaz de considerar mais opções. A psicóloga Barbara Fredrickson complementa: emoções positivas levam a uma melhor visão periférica e ajudam a estabelecer mais facilmente conexões entre as ideias.

Antes de colocar em prática, vale levar em conta as dicas da reportagem do Daily Muse: em primeiro lugar, faça uma lista das músicas que você realmente gosta, pois, quando se trata de gosto, a seleção que surte efeito positivo para uma pessoa pode ser totalmente perturbadora para outra. Depois, observe o efeito de cada tipo de música no seu fluxo de trabalho. Assim, você pode voltar às mesmas opções quando quiser obter o mesmo resultado. Por último, reserve alguns momentos para descobrir coisas novas e experimentar novas possibilidades.

Ampliando a experiência

Para o sueco Alexander Ljung, CEO do SoundCloud, plataforma de compartilhamento de música na nuvem, como o som é algo “fundamental para a vida humana”, as possibilidades de explorá-lo são infinitas. “Mantemos o foco repetindo para nós mesmos que o som é relevante para cada pessoa, cada empresa, cada organização”, afirmou Ljung em entrevista à revista Forbes. A própria existência do SoundCloud comprova que ele está certo. Ao mesmo tempo, percebeu na prática que criar uma rede social de áudio não é tão simples, pois, assim como muitas grandes ideias, esta é uma experiência sensorial e, portanto, menos tangível.

De qualquer forma, impulsionada pela integração com o Facebook e o Twitter, a ferramenta, que foi criada em 2008 com 20 mil usuários, conta hoje com 38 milhões de usuários registrados, espalhados por mais de 200 países, que, em seu total, compartilham no site mais de 10 horas de música por minuto.

Outros projetos, menores mas não menos curiosos, estão surgindo em torno dessa premissa. O Rednote, como divulgou o portal Springwise, é um serviço que permite aos usuários de smartphones anexarem clipes musicais a suas mensagens, tweets ou e-mails. O usuário faz a seleção a partir de um acervo de músicas pop e clássicas, categorizadas pelo “estado de espírito”, como romântico ou triste (“feeling blue”, na definição original). O intuito é que os clipes musicais ajudem atransmitir uma emoção mais exata do que as palavras, e, especialmente para os menos eloquentes, evitar mal-entendidos.

O aplicativo japonês Mico, por sua vez, é uma espécie de fone de ouvido que monitora as ondas cerebrais do usuário (por meio de sensores que detectam a atividade neurológica) e seleciona a música de acordo com seu estado de espírito. Como explica a matéria do Springwise, a emoção transmitida pela pessoa é usada para selecionar a música mais adequada a partir de uma biblioteca de músicas, dividida em três “humores”: concentrado, sonolento e estressado. É uma forma de livrar os ouvintes de ficarem procurando, entre milhares de opções, uma música que se adapte ao seu clima.

Não podemos prever se essas iniciativas continuarão a ter êxito com os aficionados da música, mas de uma coisa estamos certos: sua capacidade de alcance, como tem experimentado a empresa de Alexander Ljung, é tão grande quanto a humanidade estiver conectada.

Por Carolina Pezzoni, da Equipe de Comunicação da Endeavor Brasil.

Energia limpa exigirá pequenas usinas distribuídas

Usina virtual

Um mundo que queira se basear em energia limpa e ambientalmente correta deverá contar com uma série de pequenas usinas geradoras distribuídas, e não mais nas enormes plantas que concentram a geração de eletricidade atualmente.

A conclusão é de um estudo experimental realizado na Alemanha, não através de simulações, mas da interligação de usinas reais.

O conceito foi chamado de “usina virtual” por seus criadores, o Dr. Kurt Rohrig e sua equipe do Instituto de Energia Eólica e Tecnologia de Sistemas Energéticos (IWES, na sigla em inglês).

A usina virtual, chamada RegModHarz (Regenerative Modellregion Harz) já conectou via internet 25 pequenas usinas que, juntas, somam 120 megawatts de potência.

“Cada fonte de energia – seja vento, sol ou biogás – tem seus prós e seus contras. Se conseguirmos combinar habilmente as diferentes características das energias regenerativas, nós poderemos garantir o abastecimento de energia,” disse Rohrig, referindo-se à natureza variável sobretudo das energias eólica e solar.

União faz a força

Para fazer a RegModHarz funcionar, a equipe desenvolveu um plataforma de software que permite que os operadores de pequenas usinas geradoras trabalhem em conjunto como se fossem uma única grande usina.

Como sistema de armazenamento simulado, eles usaram veículos elétricos, que podem guardar energia em suas baterias para vender à noite, quando não estão em uso, e um sistema de bateria de fluxo químico.

O controle central permite reduz as desvantagens da natureza instável das fontes alternativas de energia.

Quando as pequenas usinas operam em conjunto, as diferenças regionais quanto ao vento e à incidência do Sol são balanceadas pela operação de termelétricas a biogás ou valendo-se da energia armazenada.

Os cientistas estão agora utilizando a usina virtual para modelar em detalhes o novo sistema de fornecimento de energia, sobretudo a quantidade e a distribuição das pequenas usinas geradoras, e as potências mínimas com que devem operar.

Outro elemento importante é determinar como a usina virtual atenderá aos padrões da rede de distribuição atual – tensão de 230 volts e frequência de 60 hertz, por exemplo.

O projeto está sendo bancado pelo governo alemão em parceria com diversos institutos de pesquisa, universidades e empresas.

Fonte: Inovação Tecnológica – 08/04/2013

Classificação de páginas da Internet utilizando redes neurais artificiais

Resumo. Este artigo aborda a classificação de páginas da Internet pelo seu conteúdo  utilizando   uma   Rede   Neural   Kohonen.   Desenvolveu-se   um
sistema em Java para extrair o conteúdo das páginas, e a partir do seu
conteúdo é feita um análise e classificação com a RNA.
Palavras-chave: Redes Neurais Artificiais, RNA, classificação de páginas.

Abstract. This paper reports the classification of web pages by their content
using a Kohonen Neural Network. A system was developed in Java to
extract the contents of the pages, and from its content is made an analysis
and classification with the RNA.
Keywords:   Artificial   Neural   Networks,   Kohonen,   RNA,   web   pages
classification.

Link para o artigo completo.

Rede Neural Artificial aplicada ao prognóstico de câncer de próstata – EAIC 2010

Rede Neural Artificial aplicada ao prognóstico de câncer de próstata

Genilto Dallo1 (IC-Voluntária/ UNICENTRO), Angelita Maria De Ré1, Fábio Hernandes1, Sandro Rautenberg1, Maria José de Paula Castanho2 (Orientadora), e-mail: geniltodallo@gmail.com

Universidade Estadual do Centro-Oeste/Departamento de Ciência da Computação1/Departamento de Matemática2/Guarapuava, PR.

 Ciências Exatas e da Terra, Ciência da Computação

 Palavras-chave: Câncer de Próstata, Prognóstico, Rede Neural Artificial Perceptron Multicamadas.

Resumo:

O câncer de próstata é o sexto tipo de câncer mais comum no mundo, com cerca de 10% das ocorrências. Este trabalho investiga o desenvolvimento de uma Rede Neural Artificial Perceptron Multicamadas para auxiliar o médico na tomada de decisão quanto a realizar ou não a cirurgia, que deve ser feita apenas se o tumor estiver confinado na próstata. A Rede Neural Artificial é utilizada para classificar cada caso de câncer como confinado ou não-confinado a partir de dados de pacientes. Porém, o uso deste tipo de RNA para o prognóstico de câncer de próstata ainda não apresentou o comportamento esperado, motivando trabalhos futuros.

Link para o artigo completo.

Postfix blacklist

Criando uma lista negra no postfix para rejeitar domínios ou emails.

No arquivo de configurações main.cf adicione a seguinte linha no smtpd_sender_restrictions =

  check_sender_access hash:/etc/postfix/blacklist,

Crie o arquivo /etc/postfix/blacklist com o seguinte conteúdo no
formato DOMINIO/EMAIL REJECT  MENSAGEM DE BLOQUEIO

dominiospam.com.br REJECT Blacklist
entregueimx.info REJECT Blacklist
mktphone.com.br REJECT Blacklist
bounces.paineldeenvio.com REJECT Blacklist
marketingalves.com.br REJECT Blacklist
hffix.com.br REJECT Blacklist
mktlionbrasil113.info REJECT Blacklist
cartaexpressa.info REJECT Blacklist
vendamais.com.br REJECT Blacklist
vistamail.com.br REJECT Blacklist

Execute

      postmap /etc/postfix/blacklist

Recarregar as configurações do postfix:

      /etc/init.d/postfix reload

 

Apagando emails da fila de envio do Postfix

As vezes nos deparamos com algum malware na rede enviando email loucamente ou algum envio errado de mala direta, etc, e não queremos que nosso server acabe em listas negras.

Segue abaixo um script bem simples para apagar da fila de envio do postfix os emails de um determinado remetente.

#!/bin/sh
#Script para apagar emails da fila do postfix de um determinado remetente
#Genilto Dallo <geniltodallo at gmail.com>
#————————————————————————

echo “————————————”
echo “- Excluir email da fila do postfix -”
echo “————————————”
echo “Digite o email:”
read email

LISTA=`postqueue -p|grep $email |awk -F” ” {‘print $1’}|sed -e s’/\*//g’`

for IDEMAIL in $LISTA; do
echo “Apagando $IDEMAIL”
postsuper -d $IDEMAIL
done